home>quem somos>gerenciamento de riscos>operacional

O Risco Operacional

A Melhoria Contínua de processos é uma das principais diretrizes do Banco Toyota e Toyota Leasing. Nesse sentido, o gerenciamento do Risco Operacional torna-se peça fundamental para segurança de nossos clientes, colaboradores e acionistas.

O Risco Operacional é definido como a possibilidade de ocorrência de perdas resultantes de falha, deficiência ou inadequação dos processos internos, pessoas ou sistemas ou de eventos externos.

Inclui-se o risco legal associado à inadequação ou deficiência em contratos firmados pela IF, bem como sanções pelo descumprimento de dispositivos legais e indenizações por danos a terceiros.

Classificamos os eventos de Risco Operacional como sendo:

- Fraudes internas e externas;
- Relações trabalhistas;
- Práticas inadequadas relativas a clientes, produtos e serviços;
- Prejuízos a ativos fixos da instituição;
- Interrupção dos negócios, inclusive derivada de falhas de sistemas de tecnologia;
- Falhas de execução das atividades operacionais.

O Escopo

A estrutura de gerenciamento do Risco Operacional permite a identificação, mensuração, controle e mitigação dos riscos associados ao Banco Toyota e Toyota Leasing individualmente e também na visão de conglomerado.

A estrutura tem dimensão proporcional aos riscos referentes à complexidade dos produtos oferecidos pela instituição, natureza das operações e diretrizes de exposição ao risco.

Em função da necessidade de reporte internacional, nossos controles e políticas seguem as diretrizes recomendadas pela nossa matriz.

As Atribuições:

- Identificação, avaliação, monitoramento, controle e mitigação do Risco Operacional;
- Documentação e devido armazenamento das informações referentes às perdas associadas a esse risco;
- Emissão de relatório que permite identificar e corrigir rapidamente as deficiências apontadas;
- Prever a avaliação dos testes de controle no mínimo uma vez ao ano;
- Criação, implementação e manutenção das políticas e procedimentos inerentes ao RO;
- Disseminação da política de gerenciamento de Risco Operacional em todos os níveis da organização, inclusive seus prestadores de serviços terceirizados;
- Estabelecimento de planos de contingência para assegurar a continuidade dos negócios;
- Implementação, manutenção e divulgação de processo de comunicação e informação.

As Responsabilidades

A unidade responsável pelo gerenciamento é segregada das atividades de auditoria interna da instituição, estando subordinada à Diretoria de Operações.

As definições, diretrizes e planos de ação inerentes ao gerenciamento das atividades passíveis de Risco Operacional são analisados e aprovados pela administração da instituição.

Além das responsabilidades acima descritas, cada unidade de negócio é responsável pela identificação e monitoramento das atividades de cada processo e propõe melhorias para mitigação dos riscos.